Documentário “Vou de Bike” vai circular por instituições de ensino de Maringá e região
4 de abril de 2019 130 Visualizações

Documentário “Vou de Bike” vai circular por instituições de ensino de Maringá e região

Após estrear durante a Semana Municipal das Artes e da Cultura, filme vai levar a discussão sobre mobilidade urbana até estudantes da rede pública e particular

Idealizado e produzido pela Circular Cultural, o documentário Vou de bike: Mobilidade Urbana e o Direito à Cidade em Maringá debate os benefícios de usar a bicicleta como meio de transporte – tanto para o ciclista, quanto para as cidades. A estreia do filme aconteceu no dia 26 de março, durante a Semana Municipal das Artes e da Cultura com uma exibição gratuita e ao ar livre na Travessa Jorge Amado, no centro de Maringá.

O documentário entra agora em uma nova etapa de distribuição e vai ser exibido para alunos de escolas e instituições de ensino públicas e particulares. “Acreditamos que ao levar o filme para as escolas, podemos instigar o interesse de jovens e crianças pelo tema da mobilidade urbana, pauta que vem ganhando cada vez mais importância para a convivência na cidade”, explica a equipe de produção. “Além disso, é uma oportunidade dos alunos terem um contato mais próximo com a área da produção audiovisual, já que o filme foi todo rodado em Maringá e produzido por profissionais da cidade.”

Diretores, professores, alunos ou outros profissionais da área que tenham interesse em exibir o filme em suas escolas ou entidades, podem entrar em contato com a Circular Cultural pelo e-mail contato@circularcultural.com.br ou pelos telefones 44 99887-8906 / 98815-4225. O filme é um média-metragem de 45 minutos de duração e pode ser exibido com Interpretação em Libras (Linguagem Brasileira de Sinais), audiodescrição, legenda ou legenda descritiva, conforme as necessidades do público espectador.

“Vou de Bike: Mobilidade Urbana e o Direito à Cidade” foi produzido por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, contou com fomento cultural do ICI (Instituto Cultural Ingá) e patrocínio do BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul).

Assista ao trailer: https://www.youtube.com/watch?v=vOuiS666fak

 

Sinopse: Mais do que veículos de locomoção, as bicicletas são símbolos da rediscussão sobre o uso dos espaços públicos e da mobilidade urbana. Em “Vou de Bike: mobilidade urbana e o direito à cidade em Maringá”, pesquisadores, ciclistas e cicloativistas que disputam espaço com os carros diariamente contam suas histórias e discutem a questão: qual é o caminho para que Maringá se torne uma referência em mobilidade urbana e democratização dos espaços públicos?

Duração: 45 minutos

Acessibilidade: legenda descritiva

Classificação livre

 

FICHA TÉCNICA

um filme da Circular Cultural

Roteiro e produção: Daniela Giannini

Direção e coordenação de projeto: Felipe Halison

Produção associada: Karen Gomes

Direção de fotografia e câmeras: Renato Domingos

Filmagens aéreas: Tiago Barella

Edição e montagem: Equipe Circular Cultural

Sonorização: Gabriel Moraes

Colorização: Alvaro Sasaki

Lei Federal de Incentivo à Cultura

Patrocínio: BRDE (Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul)

Fomento à Cultura: ICI (Instituto Cultural Ingá)

Realização: Circular Cultural e Secretaria Especial de Cultura/Ministério da Cidadania, Governo Federal

 

Circular Cultural | www.circularcultural.com.br

contato@circularcultural.com.br

44 99815-4225 | 44 9887-8906

 

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Notícias

Em Assembleia Geral Ordinária, ICI elege nova diretoria

A reunião está marcada para próxima terça-feira (21/11) na ACIM Há mais de 17 anos à frente da Agência Lettera Propaganda, Carlos Eduardo Peinado concorre – em chapa única –

Local

Prefeitura lança calendário dos 70 anos de Maringá

O prefeito Ulisses Maia realizou nesta terça, 2, o lançamento do calendário de comemoração dos 70 anos de Maringá que contará com inaugurações, lançamentos de programas e a Semana da

Notícias

O desafio de atrair a classe C

Impulsionado pelo aumento da renda e pelo crédito fácil, o consumo da classe C foi um dos motores da economia brasileira na última década. No entanto, o ímpeto consumista em