Curta-metragem sobre Arraiá do Zico Borghi está em fase de edição

Curta-metragem sobre Arraiá do Zico Borghi está em fase de edição

Primeira manifestação cultural registrada como Patrimônio Imaterial de Maringá, a festa junina do seo Zico Borghi está sendo documentada em um curta-metragem viabilizado com recursos do concurso 001/2017 do prêmio Aniceto Matti. ‘Arraiá do seu Zico Borghi: festa e tradição’ está em fase de edição e será exibido em janeiro de 2019.

Por meio de entrevistas com os principais atores da festa – o organizador Zico, 87, entre eles -, o audiovisual percorre o caminho da tradição originada nas décadas de 1950 e 1960 na Gleba Pinguim, uma das dez glebas demarcadas pela Companhia de Terras Norte do Paraná (CTNP) quando da formação do município. Ativa participante das festas juninas na comunidade rural naquela época, quando os dias santos eram ‘guardados’ e ninguém trabalhava na roça, a família do patriarca Tranquilo Borghi frequentava as rezas e as comemorações nos sítios da vizinhança nos respectivos dias comemorativos – Santo Antônio, 13, São João, 24, e São Pedro, 29. O então jovem Aníbal Agenor, o conhecido Zico, reavivou o espírito festivo da juventude no início da década de 1980, mais precisamente em 1982, abrindo as porteiras do sítio Boa Esperança para os remanescentes do êxodo rural da década anterior. Readaptada para a nova realidade, desde então a festa junina do seo Zico comemora os três santos na véspera de São João, 23 de junho.

O passar do tempo consolidou a festa na comunidade rural, que viu aumentar a frequência de festeiros vindos da cidade. Tanto que nos anos 2000 o sítio ficou pequeno para comportar a grande quantidade de visitantes. Foi o momento de buscar ajuda com a prefeitura, que cedeu as dependências do colégio João Gentilin para abrigar a festa, contribuindo também com recursos humanos, estruturais e financeiros para sua realização. O colégio também ficou pequeno e o arraial foi transferido para a capela Bom Jesus. Daí para o registro como patrimônio histórico imaterial foi um pulo.

Além de Zico Borghi são ouvidos no curta o vizinho e genro Santo Barbiéri, o filho Marcos, a ex-secretária de Cultura Flor Duarte, a coordenadora do Laboratório de Religiões e Religiosidades da Universidade Estadual de Maringá (UEM) Solange Ramos de Andrade, o historiador João Laércio Lopes Leal, a festeira Rô Fagundes e o padre Rogério Diesel, ex-titular da Paróquia Santa Rita de Cássia.

O projeto foi contemplado pelo Prêmio Aniceto Matti de Incentivo à Cultura, lei municipal no 9.160/2012. Incentivo da Prefeitura Municipal de Maringá, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.

 

Ficha técnica:

Arraiá do seo Zico Borghi: festa e tradição

Roteiro: Juliana Daibert

Direção, edição e imagens: Juares Alves

Produção: Paulo Alexandre Oliveira

Produção executiva: Felipe Halison

Edição: RPS Produtora

Duração: 30 minutos

 

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Notícias

Deixe as luzes da cidade te levarem até o Auto de Natal

Releitura do nascimento de Jesus ganha cenário, cores e personagens típicos da história de Maringá e região Enquanto a cidade se enfeita de luzes para receber o final de ano,

Notícias

Havard, ITS Rio e Uerj promovem curso online sobre direito autoral

Estão abertas as inscrições para o CopyrightX, curso gratuito online sobre direito autoral, fruto da parceria de Harvard com o ITS Rio e a Universidade Estadual do Rio de Janeiro