Sai o resultado final do Edital Tupiniquim

Sai o resultado final do Edital Tupiniquim

Na manhã desta terça-feira (17) a Comissão Técnica do Edital Tupiniquim, composta por representantes do Conselho Estadual de Cultura, da Secretaria Municipal de Cultura de Maringá, da Secretaria Municipal de Cultura de Londrina, do programa Cine CBN, do Instituto Cultural Ingá e do Cineflix, deliberou os seis primeiros lugares do projeto que visa ampliar a atuação dos produtores de cinema do Estado. “Para o bom andamento do edital, o Cineflix Cinemas – organizador do projeto -, juntamente com o Instituto Cultural Ingá, optaram por indicar uma nota de corte aos inscritos, que ficou estabelecida em 30 pontos. Os projetos habilitados que obtiverem pontuação inferior foram desclassificados”, declara Miguel Fernando, diretor executivo do ICI.

Entre os vencedores está Guilherme G. Camargo, com o Longa-Metragem (Ficção) “Gastronomia Urbana”, Fernando de C. Moreira com o Curta-Metragem (Ficção) “Geladeira”, Kinopus Audiovisual com o Curta-Metragem (Ficção) “O retrato”, Mauricio Grando Pilati com o Curta-Metragem (Ficção) “ARA, lágrima que cai”, José Luiz de Souza com o Curta-Metragem (Documentário) “Masami Kondo” e Flávio Gonçalves Dutra com o Média-Metragem (Ficção) “Passado vendido”. Os selecionados têm até 17 de julho de 2018 para providenciar os documentos solicitados no regulamento do Edital e, assim, formalizarem suas participações.

Iniciativa – O Edital abriu espaço para os projetos audiovisuais, tanto aqueles vinculados às Leis de Incentivo quanto os de caráter independente. “Os filmes selecionados serão inseridos na programação do Cineflix, durante o segundo semestre de 2018, prevendo que cada filme seja veiculado, em ao menos uma sala, na rede das cidades de Londrina e Maringá. Tendo, ainda, participação na receita gerada com a bilheteria”, explica Miguel.

Para Juliano Tortelli, diretor de Marketing do Cineflix Cinemas, o edital foi uma forma que a 5º maior rede de cinemas do Brasil encontrou para incentivar a produção audiovisual independente estadual, e consequentemente em todo o Brasil. “A intenção é fazermos, aos poucos, as etapas da mostra nos estados que temos as unidades da Cineflix. Sabemos que muitas vezes não é fácil para o artista independente encontrar espaço no circuito de exibição para mostrar o seu filme, por isso, dedicamos essa iniciativa a todos que ainda não tiveram essa chance de mostrar ao público o seu trabalho na telona. Quanto à produção, torçamos para que tenha vida longa, independentemente da plataforma de exibição. Participar da Mostra Tupiniquim e ser exibido na Cineflix só vem a agregar a trajetória do filme”.

Confira o resultado na íntegra: http://www.institutoculturalinga.com.br/tupiniquim/

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Notícias

Lei Rouanet não é “boca livre” da cultura brasileira

Henilton Menezes para o Cultura e Mercado Ontem, o Brasil foi acordado com mais uma operação da Polícia Federal, denominada “Boca Livre”, numa referência a uma festa de casamento que

Notícias

Conheça o Programa BNDES para o Desenvolvimento da Economia da Cultura – Procult

O BNDES Procult financia projetos de investimento e planos de negócios de empresas de todas as cadeias produtivas da economia da cultura, tais como audiovisual, editorial, música, jogos eletrônicos e artes visuais

Notícias

Mestre das sete cordas: cinco videos de Yamandu Costa

O violonista gaúcho, que se apresenta em Maringá no próximo sábado (dia 20), tem no currículo apresentações em parceria com nomes consagrados da música brasileira Com 36 anos, Yamandu Costa ostenta