Ministro da Cultura promove indústria audiovisual brasileira nos Estados Unidos

Ministro da Cultura promove indústria audiovisual brasileira nos Estados Unidos

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, desembarcou nos Estados Unidos em missão oficial para promover o setor audiovisual brasileiro. A agenda, que vai até dia 6 de novembro, começa nesta segunda-feira em Los Angeles com um encontro com representantes de estúdios cinematográficos norte-americanos, membros da Motion Picture Association of America (MPAA), entidade que reúne os principais estúdios de Hollywood.

Também inclui participação do ministro no maior evento de negócios do setor audiovisual norte-americano, a American Film Market, que ocorre na sexta-feira (3), e em dois festivais de cinematografia brasileira, o Hollywood Brazilian Film Festival e o Los Angeles Brazilian Film Festival.

Está prevista, ainda, presença do ministro no Seminário Desafios Legais e Regulatórios da Indústria Brasileira de Filme, TV e Vídeo sob Demanda, organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Califórnia, na terça-feira (31). Além disso, Sá Leitão visita uma das principais exposições de arte contemporânea da Califórnia, a Pacific Standard Time: LA/LA. A agenda termina em Miami, na segunda-feira (6), em uma reunião com o Conselho Executivo da Television Association of Programmers Latin America, entidade que trabalha pelo fomento do ambiente regulatório e de negócios para a indústria da televisão paga na América Latina. Durante a reunião, o ministro fará uma atualização do mercado regulatório da televisão paga no Brasil e discutirá as perspectivas de ampliação desse mercado no território brasileiro para os próximos anos.

O ministro Sérgio Sá Leitão já havia destacado seus planos de transformar a indústria audiovisual brasileira em uma das cinco maiores produtoras no mundo – as outras quatro estão na Índia, Nigéria, Estados Unidos e China. De acordo com Sá Leitão, a ampliação do potencial audiovisual no País deverá se dar por meio do aproveitamento integral dos recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

“O FSA, composto por recursos provenientes da Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional (Condecine), rendeu, nos últimos 10 anos, R$ 7,5 bilhões ao Estado brasileiro, dos quais somente R$ 3,5 bilhões foram repassados ao fundo. E desses, pouco mais de R$ 1,3 bilhão foi efetivamente utilizado. A cada ano, temos mais R$ 600 milhões ou R$ 700 milhões adicionados ao fundo. Se investirmos corretamente, em 10 anos, teremos uma das cinco maiores indústrias audiovisuais do mundo”, declarou.

American Film Market

O Americam Film Market (AFM) é o maior evento de negócios da indústria cinematográfica mundial, reunindo mais de 7 mil profissionais e representantes de entidades do setor audiovisual, oportunidade em que são negociados e firmados acordos e parcerias, além de extensa programação que congrega exibição de filmes e realização de conferências. Diferentemente de um festival cinematográfico, o AFM funciona como gigantesco mercado de negócios. Há estimativas de que o evento movimente cerca de US$ 1 bilhão, principalmente por meio de acordos de produção e distribuição fechados ao longo de seus oito dias de realização.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa | Ministério da Cultura

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Nacional

Sérgio Sá Leitão é o novo ministro da Cultura

Atual diretor da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Sérgio Sá Leitão é o novo titular do Ministério da Cultura (MinC), conforme anunciou nesta quinta-feira (20) o presidente da República, Michel

Notícias

Atendimento ao proponente no incentivo fiscal é qualificado

Está no ar, no site do Ministério da Cultura (MinC), uma nova páginareservada aos conteúdos do incentivo fiscal a projetos culturais. O ambiente agrupa, num só espaço, as informações, orientações

Notícias

Mostra nacional que propõe estimular a criação de propostas artísticas prorroga inscrições

A Mostra de Cenas a Distância é uma das ações universitárias elaboradas especialmente para o período de suspensão das atividades presenciais na Universidade Estadual de Maringá (UEM). A iniciativa interdisciplinar