Conheça os finalistas do Prêmio Literário Biblioteca Nacional

Conheça os finalistas do Prêmio Literário Biblioteca Nacional

A Fundação Biblioteca Nacional, instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), divulgou, nesta quarta-feira  (18), os 27 finalistas do Prêmio Literário de 2017. Os vencedores serão conhecidos no dia 28 de novembro, durante a cerimônia de entrega do prêmio, na sede da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.

Realizado anualmente desde 1994, o Prêmio Literário Biblioteca Nacional está dividido em nove categorias: Poesia (Prêmio Alphonsus de Guimaraens), Romance (Prêmio Machado de Assis), Conto (Prêmio Clarice Lispector), Tradução (Prêmio Paulo Rónai), Ensaio Social (Prêmio Sérgio Buarque de Holanda), Ensaio Literário (Prêmio Mario de Andrade), Projeto Gráfico (Prêmio Aloísio Magalhães), Literatura Infantil (Prêmio Sylvia Orthof) e Literatura Juvenil (Prêmio Glória Pondé). O primeiro colocado de cada categoria receberá uma premiação de R$ 30 mil.

 

Conheça os finalistas:

 

Conto

Giovana Madalosso, com a obra “A teta racional”, da Editora Grua

Marcelo Moutinho, com a obra “Ferrugem”, da Editora Record

Marcilio França Castro, com a obra “Histórias Naturais”, da Editora Companhia das Letras

 

Ensaio Literário

Cláudia Maria de Vasconcelos, com a obra “O livro Samuel Beckett e seus duplos: espelhos, abismos e outras vertigens literárias”, da Editora Iluminuras

Fabio Cesar Alves, com a obra “Armas de papel: Graciliano Ramos, as Memórias do cárcere e o Partido Comunista Brasileiro”, da Editora 34

Thiago Mio Salla, com a obra “Graciliano Ramos e a cultura política: mediação editorial e construção do sentido”, da Editora EDUSP

 

Ensaio Social

Angela de Castro Gomes e Patrícia Hansen, com a obra “Intelectuais mediadores: práticas culturais e ação política”, da Editora Civilização Brasileira

Leneide Duarte-Plon, com a obra “A tortura como arma de guerra”, da Editora Civilização Brasileira

Rafael Marqueses e Ricardo Salles, com a obra “Escravidão e capitalismo histórico no século XIX: Cuba, Brasil, Estados Unidos”, da Editora Civilização Brasileira

 

Literatura Infantil

Eucanaã Ferraz, com a obra “Cada coisa”, da Editora Companhia das Letrinhas

Eva Furnari, com a obra “Drufs”, da Ed. Melhoramentos

Leo Cunha e André Neves, com a obra ” Um dia, um rio”, da Ed. Pulo do Gato

 

Literatura Juvenil

Ivan Jaf, com a obra “A sobrancelha é o bigode do olho”, da Editora Melhoramentos

João Anzanello Carrascoza, com a obra “Tempo justo”, da Editora SM

Tiago de Melo Andrade, com a obra “Nandi, o boi da Índia”, da Editora Melhoramentos

 

Poesia

Ana Estaregui, com a obra “Coração de Boi”, da Editora 7 Letras

Fábio Weintraub, com a obra “Falso trajeto”, da Editora Patuá

Sérgio Medeiros, com a obra “A idolatria poética ou a febre de imagens”, da Editora Iluminuras

 

Projeto Gráfico

Elaine Ramos, com a obra “Mauro Restiffe”, da Editora Cobogó

Gabriela Marques de Castro, Paulo André Chagas e Gustavo Marcheti (Bloco Gráfico), com a obra “O momento presente”, de Anri Sala, da Editora IMS

Gustavo Marcheti (Bloco Gráfico), com a obra “Espírito de tudo”, de Rosangela Rennó, da Editora Cobogó

 

Romance

Alberto Mussa, com a obra “A hipótese humana”, da Editora Record

P. Cuenca, com a obra “Descobri que estava morto”, da Tusquets Editores

Ricardo Lísias, com a obra “A vista particular”, da Editora Alfaguara

 

Tradução

Rogério Bettoni, com a obra “Jaqueta Branca ou O mundo em um navio de guerra”, de Herman Melville, da Editora Carambaia

José Cavalcante de Souza, com a obra “Fedro”, de Platão, da Editora 34

Cecília Rosas, com a obra “A guerra não tem rosto de mulher”, de Svetlana Aleksiévitch, da Editora Companhia das Letras

 

Fonte: Assessoria de Comunicação | Ministério da Cultura

 

 

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Nacional

Novas práticas na curadoria de artes

Mônica Herculano para o Cultura e Mercado Curadoria é uma profissão relativamente nova, que vem atraindo pessoas com perfis bastante diferentes nos últimos anos. “Sob influência direta de estratégias do

Nacional

Cultura corresponderá a apenas 0,66% da renúncia fiscal da União em 2016

A mais antiga ferramenta de incentivo à produção cultural do Brasil, a Lei Rouanet, é alvo de crítica, especialmente no que diz respeito à renúncia fiscal. Entretanto, projeção da Receita

Nacional

Museu Paranaense abre exposição sobre educação patrimonial

No dia 22 de novembro (terça-feira), às 16h, o Museu Paranaense recebe a exposição “Desvendando contextos: educação patrimonial na pequena infância”. A mostra apresenta desenhos, fotos, objetos e materiais diversos