Entidades e artistas locais se unem para arrecadar recursos à Fundação Luzamor

Entidades e artistas locais se unem para arrecadar recursos à Fundação Luzamor

Em quatro dias de apresentações, Festival Viva Luzamor destinará integralmente o valor dos ingressos à causa

Fundada em 1975, pelas irmãs Sumiko Miyamoto e Yaeko Miyamoto, a Fundação Cultural e Educacional Luzamor – entidade parceira do município de Maringá – enfrenta severa crise financeira, que pode ou não culminar no encerramento de suas atividades.

Para reverter a situação, diversas instituições e produtores culturais decidiram se unir para realizar o Festival Viva Luzamor. De acordo com Miguel Fernando, diretor executivo do Instituto Cultural Ingá, a ideia coletiva tem como objetivo principal angariar recursos, ao mesmo tempo em que cria o sentimento de pertencimento a Fundação, que é uma das mais instituições culturais mais antiga da cidade. “É uma instituição sem fins lucrativos, que promove a cidadania por meio de projetos nas áreas de cultura e educação, e tem como missão contribuir para o desenvolvimento social por meio de ações educacionais, culturais e de apoio às atividades comunitárias primando pela consciência do aprendizado contínuo”, explica.

Miguel ainda relata que o Auditório Shizuko Miyamoto, também conhecido como Auditório Luzamor, surgiu devido às irmãs Miyamoto perceberem a necessidade de um local apropriado para a realização de óperas e concertos. Na época, a mãe das irmãs, Shizuko Miyamoto, que já morava em Maringá, faleceu aos 93 anos. “Os recursos para a construção do auditório vieram graças ao antigo costume oriental que quando se perde um ente querido são feitas várias ofertas em dinheiro para a família. Apesar da tristeza pela perda da mãe, foi esse o recurso financeiro que ajudou as irmãs a conseguirem realizar mais esse sonho”, completa Miguel.

Também a frente da iniciativa, Rael Gimenes e Paulinho Schoffen serão os responsáveis pela produção do Festival, que acontecerá de 11 a 14 de setembro às 20h30 – no Auditório Luzamor. Rael afirma que a intenção é retribuir todo incentivo da Fundação aos produtores culturais que já se apresentaram no espaço. “Não somos nós que estamos ajudando a instituição, e sim a instituição que nos ajuda a manter uma história. É uma forma de contribuir, quanto sociedade civil, para não deixar essa história tão importante morrer”.

Davi Oliveira, presidente da Fundação Luzamor, relembra com saudades dos bons tempos da entidade e convida todo cenário artístico e cultural para abraçar a causa. “Muitos músicos da cidade, em algum momento de suas carreiras, participaram de atividades na Fundação Luzamor, recebendo benefícios culturais. Hoje, o Luzamor precisa da nossa colaboração para se reerguer e voltar a ser um polo educacional de formação artística na cidade de Maringá. Deste modo, vamos participar dessa empreitada e colaborar com essa bela casa da música”, finaliza.

A programação está sendo estruturada com a participação de diversos profissionais de diferentes segmentos artísticos. Em breve mais detalhes serão divulgados.

 

Mais informações

Festival Viva Luzamor

De 11/09 a 14/09

Às 20h30

Ingressos a R$ 20 (Em dinheiro, no dia das apresentações, na portaria do Auditório Luzamor)

 

Daniele Corrêa – Assessoria de Imprensa ICI

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Nacional

Distribuição e exibição: caminhos para o conteúdo audiovisual brasileiro

A produção audiovisual independente viveu, nos últimos anos, um boom de criação e produção, resultando em centenas de filmes e séries realizadas. Partimos de um universo de 14 filmes brasileiros

Notícias
Notícias

Plano Municipal de Cultura abre para consulta pública

Representantes eleitos em plenária farão parte da gestão 2016-2018 Quem trabalha ou pretende trabalhar com a carreira artística precisa estar atento a essa mudança: o novo Conselho Municipal de Cultura