Cartas Poéticas: exposição associa artes visuais e literatura
26 de julho de 2017 1223 Visualizações

Cartas Poéticas: exposição associa artes visuais e literatura

Projeto apresenta 64 cartas baseadas nas palavras do I-Ching, com aquarelas de Cristina Agostinho e poemas de Gilmar Leal Santos

Ao se deparar com o termo I-Ching, você pode sentir certa estranheza. Mas, ao conhecer o significado e a relevância dessa obra, principalmente pela visão de Cristina Agostinho, artista plástica, e Gilmar Leal Santos, poeta, é impossível ficar indiferente.

O I-Ching é um dos mais antigos e respeitados oráculos do mundo. Ele apresenta a ideia de que nada acontece arbitrariamente, mas seguindo ritmos e ciclos de mutação. Por isso, ele é chamado de ‘O Livro das Mutações’. O I Ching é também um belo poema sobre a China Antiga e seu amor pela natureza, trazendo-nos saberes e tradições que têm muito a ensinar ao Ocidente.

Inicialmente, o I Ching era formado pelos “Kua”, signos linguísticos que continham as respostas buscadas pelas pessoas naquela época. No entanto, para estabelecer melhorias no oráculo e compreendê-lo melhor, foram acrescentados outros elementos para ampliar o significado dos Kua: as Linhas, os Julgamentos e as Asas.

Assim, direto da China e aterrissando em Maringá, parte dessa obra poderá ser compreendida por meio da exposição Cartas Poéticas, de Cristina e Gilmar. Serão 64 aquarelas criadas pela artista plástica e 64 poemas escritos por Gilmar, cada dupla relacionada a uma palavra chave do livro I-Ching. As 64 cartas estarão acondicionadas numa caixa, que permite, ao se levantar a tampa, que se escolha aleatoriamente uma carta, lendo a mensagem visual e poética. “O objetivo deste projeto é oferecer uma nova condição de experiência estética, na leitura visual e literária. Não sendo um livro e sim uma caixa com um jogo de 64 mensagens poéticas que pretende que o sujeito seja instigado ao hábito dessa leitura, de uma forma aleatória, mas constante”, explica Cristina.

A exposição é um evento derivado do lançamento do livro “Cartas Poéticas”, resultado do Prêmio Aniceto Matti, da Prefeitura Municipal de Maringá. “Inicialmente, a exposição não constava no projeto ganhador do prêmio, porém decidimos que uma exposição poderia aguçar a curiosidade do público pelas cartas”, conta Gilmar. Segundo os artistas, o prêmio Aniceto Matti também promoveu a confecção de 650 caixas, sendo que 160 unidades foram oferecidas ao município para as bibliotecas e centros de ação cultural.

O lançamento da exposição está agendado para o dia 02 de agosto às 20h, no Shopping Maringá Park. O evento é aberto ao público. “O que queremos é levar uma arte diferente e contemporânea aos maringaense”, encerra o poeta.

Sobre os artistas:

Gilmar Leal Santos é poeta, tradutor e vive em Maringá. Gilmar é autor do livro: Poesia: Trapezista e Carmesim e tradutor da obra The Waste Land de T. S. Eliot

Cristina Agostinho é natural de Portugal, artista plástica e designer de moda. Fez diversos trabalhos em parceria com Paolo Ridolfi, na área de cenografia e figurino para grupos de dança e de teatro. Cristina vem oferecendo oficinas de artes para comunidade em geral, sem restrição a idade, há mais de 15 anos.

 

5b7530b8-10b5-4738-9f60-10ed13cb858d (1)

Daniele Corrêa | Assessoria de Imprensa ICI

 

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Local

Amar, Verbo Intransitivo chega aos palcos do Teatro Calil Haddad

Após 90 anos de sua publicação, obra se transforma em peça que será apresentada em Maringá Uma obra como esta dispensa qualquer apresentação, a começar pelo autor que – mesmo

Notícias

Semana Nacional de Museus: de todos e para todos

Museus e paisagens culturais. Como fica a relação das pessoas com esses espaços? Será que quem passa por eles diariamente entra e os visita?  . No centro de Brasília, o

Notícias

Música instrumental inicia passeio pelo interior do Paraná

Produção de Paulinho Schoffen contemplada no Edital Viapar Cultural vai visitar Maringá, Nova Esperança, Paranavaí, Presidente Castelo Branco, Floresta, Arapongas, Mandaguaçu e Campo Mourão Se uma das premissas da democratização