Ecos do Ingá reforça sentimento de pertença ao Parque do Ingá

Ecos do Ingá reforça sentimento de pertença ao Parque do Ingá

Projeto tem como objetivo valorizar os atrativos do espaço e apresentar a multiplicidade de estilos musicais

Ao som do Chorinho, gênero de música popular que marcou a 1ª edição do Ecos do Ingá – Mostra de Música Instrumental, milhares de pessoas se reuniram no Parque do Ingá, em Maringá, no ano passado, para entender do que se tratava o projeto inédito que adentraria o espaço de lazer e preservação ambiental mais bem quisto da cidade. Aos poucos, o público foi acreditando na proposta e se tornou presente em cada uma das atrações.

Paulinho Schoffen é organizador do Ecos do Ingá e está à frente da concepção do projeto. Paulinho conta que o local para execução do Ecos não poderia ser outro, até mesmo visto o nome que incorporou. “O objetivo é reforçar o carinho do maringaense pelo local, que é tão importante para cidade e reforçar o sentimento de pertencimento”, conta.

Ao todo, desde sua 1ª edição, mais de 2.000 pessoas puderam conferir as atrações musicais brasileiras. Como o projeto abraça a diversidade, a cidade recebe artistas de toda parte do País, principalmente do Paraná. “Só na última edição, cerca de 1.000 pessoas se fizeram presentes para acompanhar o espetáculo. Acredito que esse resultado advém da música somada ao local que as pessoas têm tanto carinho. Eu acho que vários eventos poderiam acontecer por lá”.

Na 2ª edição – A Guitarra Brasileira, que ocorreu de 20 a 21 de maio, cinco shows fizeram parte do cronograma de apresentações. O encerramento foi com Roberto Menescal, músico que está entre os 100 maiores guitarristas do mundo, segundo a relação da Revista Billboard. “A proposta da 2ª edição foi trazer um pouco do ritmo, do swing e da harmonia da guitarra, mostrando a multiplicidade de estilos construídos a partir deste instrumento. Mostrar ao público apresentações de grandes ícones da guitarra, executando música brasileira para confirmar que a guitarra também é parte da nossa cultura. A edição superou todas as expectativas, mesmo com muita chuva”, afirma Paulinho.

Devido ao grande sucesso do projeto – devido a todos os atributos -, a terceira edição já está programada, mas sem data ou tema definidos. A única certeza, segundo Paulinho, é que “Com certeza uniremos a música ao Parque outra vez”, finaliza.

A segunda edição do Ecos do Ingá, viabilizado por meio da Lei Rouanet, contou com as apresentações de Paulinho Lima (Maringá), André Siqueira (Londrina), Mario Conde (Curitiba), Nelson Faria (Rio de Janeiro) e Roberto Menescal com participação especial da cantora Cris Delanno (Rio de Janeiro). Os patrocinadores foram Itaú, FA Maringá, Ferrari & Zagatto, FERTIPAR, FORTGREEN e Sancor Seguros. Além de o projeto contar, desde o início, com o fomento do Instituto Cultural Ingá.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Local

Projeto maringaense realiza convergência entre diversas manifestações artísticas

Reconhecido por ser uma grande plataforma de expressões culturais, INSULA gera integração social e diversidade A proposta é trazer, a partir da música eletrônica, a convergência entre diversas formas de

Artigo

Em roda de conversa, ministro critica possível fusão do MinC

Em meio a um cenário político incerto e conturbado, dirigentes do Ministério da Cultura (MinC) promoveram uma roda de conversa em que defenderam a permanência do MinC e debateram asrecém-anunciadas

Notícias

Maringá se transformará na capital da magia e ilusionismo em outubro

Primeira edição do Festival Nacional Magias do Ingá trará para a cidade seis dos principais mágicos, ilusionistas e mentalistas da América Latina Duas noites, trinta e seis atos e sete