Coletivo Kókir é selecionado para o Prêmio seLecT
19 de abril de 2017 1329 Visualizações

Coletivo Kókir é selecionado para o Prêmio seLecT

Premiação valoriza iniciativas inovadoras e experimentais que favoreçam diálogos e vínculos entre arte e educação. Serão concedidos dois prêmios para projetos realizados em todo o território nacional. Projeto maringaense está entre os 10 finalistas

O Coletivo Kókir (“fome” em Kaingang) explora noções da antropologia e da arte, contemporânea, constituindo a situação de “não lugar” dos indígenas no Paraná. Para isto, traz obras realizadas com os Kaingang da terra indígena Ivaí (PR), produzidas no período em que permanecem na Associação Indigenista – ASSINDI – Maringá. Atualmente, o projeto é formado pelos artistas Tadeu dos Santos e Sheilla Souza, ampliando o número de participantes de acordo com as ações a serem realizadas.

Em seu trabalho mais recente, o Coletivo Kókir realizou as exposições “Sustento/Voracidade”, nas quais os artistas realizam uma intervenção sobre os objetos do povo indígena Kaingang. O projeto foi apresentado em duas exposições em Curitiba, entre 2016 e 2017. A exposição “Sustento” aconteceu na Galeria Farol Arte e Ação e a exposição “Voracidade” no Museu Paranaense.

Prêmio seLecT – A seLecT é uma revista de arte contemporânea de distribuição nacional. Este ano a publicação lançou o Prêmio seLecT de Arte e Educação e nele foram inscritos cerca de 500 projetos. Deste total, 60 projetos foram pré-selecionados e, apenas 10 finalistas, em duas categorias: Artista e Formador, concorrem a dois prêmios no valor de R$ 20.000,00. O Coletivo Kókir concorre à categoria Artista, que contempla autores de obras artísticas cuja proposta ou foco de pesquisa envolva estratégias de formação e mediação, visando promover o pensamento crítico e/ou as relações entre o indivíduo e seu meio social.

Representantes – Sheilla Souza e Tadeu dos Santos representarão o Coletivo Kókir durante as finais do Prêmio seLecT com o projeto “Fome de Mistura”. Tadeu explica que, além das exposições, performances, ações, palestras e publicações, o trabalho do Coletivo é também desenvolvido por meio da pesquisa realizada no mestrado em Ciências Sociais (UEM). “A pesquisa investiga as transformações observadas na cestaria Kaingang a partir do contato interétnico”. Sheilla conta que é na ASSINDI (Associação Indigenista de Maringá) que o coletivo promove os encontros semanais do Projeto de Extensão Arte e Cultura Indígena em Maringá (UEM). No projeto acontecem atividades artísticas dirigidas a um público bastante diversificado. “São realizadas ações colaborativas entre universitários indígenas, estudantes do curso de Artes Visuais da Universidade Estadual de Maringá (UEM), escolas públicas e privadas, crianças e artesãos indígenas”, explica Sheilla.

Final – Os responsáveis pelos 10 projetos finalistas serão convidados a realizar uma apresentação nos Seminários de Arte e Educação, que acontecem no auditório do Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo, durante os dias 3, 4 de maio. Cabe à Comissão de Premiação reunir-se no dia 5 de maio, para deliberar sobre os dois projetos vencedores do 1º Prêmio seLecT de Arte e Educação, nas categorias Artista e Formador. A entrega do prêmio acontecerá no dia 6, também no auditório do Centro Cultural Banco do Brasil. Os seminários serão abertos ao público. Mais informações podem ser obtidas no site: http://premio-select.com.br/

O catálogo das exposições “Sustento/Voracidade” encontra-se disponível na página: http://www.olharcomum.com.br/sustento-coletivo-kokir-farol-galeria-de-arte-e-acao/

Exposição – As obras do coletivo Kókir poderão ser vistas na exposição “Pela estrada e fora”, com curadoria de Ricardo Basbaum, na Diretoria de Artes Plásticas (Dap) da Universidade Estadual de Londrina, a partir do dia 22 de junho.

FONTE: Ascom ICI | Daniele Corrêa – Mobi Comunicação (44) 3034-1812

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Local

“Professor de Campeões” será uma das atrações do Festival Magias do Ingá

Daba é mágico e respeitado mundialmente por ser multifacetário. Mais uma atração confirmada para a segunda edição do projeto maringaense Em sua 2ª edição, o maior festival de ilusionismo e

Notícias

NOTA SOBRE O INCÊNDIO

“Naquele dia, levantarei a cabana arruinada de Davi, repararei as suas brechas, levantarei as suas ruínas, e a reconstruirei como nos dias antigos,para que herdem o que resta de Edom,

Notícias

Salão Paranaense abre sua 66ª edição no Museu Oscar Niemeyer

A 66ª edição do Salão Paranaense, um dos mais importantes eventos de artes visuais do país, abre no dia 8 de junho, quinta, às 19h, no Museu Oscar Niemeyer (MON).