NOTA SOBRE O INCÊNDIO

NOTA SOBRE O INCÊNDIO

“Naquele dia, levantarei a cabana arruinada de Davi, repararei as suas brechas, levantarei as suas ruínas, e a reconstruirei como nos dias antigos,para que herdem o que resta de Edom, e de todas as nações sobre as quais o meu nome foi invocado – oráculo do Senhor, que executará estas coisas.” Amós 9, 11 e 12

Lamentavelmente ontem passamos por uma fatalidade, boa parte do patrimônio artístico da Associação Lírius foi consumida por um incêndio no barracão. Mas graças ao nosso bom Deus não tivemos vítimas fatais, quatro dos nossos amigos tiveram queimaduras leves e intoxicação respiratória, mas já estão bem.

Muitas coisas que seriam usadas na apresentação da Paixão de Cristo deste ano e também elementos artísticos de outros espetáculos, como por exemplo o Auto de Natal foram queimados. Perdemos ferramentas, adereços, moveis, insumos diversos e algo muito precioso, o Figurino, que infelizmente queimou 100%. O Figurino é algo muito especial pois exige um grande estudo na reprodução idêntica da época de Jesus, são tecidos especiais, nobres e alguns até difíceis de achar. Assim estimamos um prejuízo entre 250 e 300 mil reais, incluindo os custos para refazer o barracão.

A Paixão de Cristo é patrocinada por empresas locais e estaduais, mas em virtude dessa grande perda, agora temos um passivo financeiro que foge do nosso orçamento anual. Muitas pessoas já nos perguntaram como podem nos ajudar e louvamos a Deus por essas iniciativas que são frutos de um povo solidário que temos em nossa região e também pela relevância que é a Paixão de Cristo, tanto para nós cristãos quanto para a vida cultural da cidade, por ser o maior evento cultural gratuito do município. Então aceitaremos sim e de coração aberto a qualquer tipo de ajuda.

Para facilitar a compreensão das nossas necessidades, pensamos em explicar através de cinco formas de ajuda.

01- Ajuda doando seu tempo e talento para:
• Colaborar na montagem da estrutura e finalização do cenário
• Para confeccionar as roupas de época
• Para confeccionar os adereços como exemplo, espadas e capacetes de soldados romanos feitos de alumínio

02- Ajuda com material, exemplos:
• Tecidos para as roupas
• Tintas
• Ferramentas
• Madeira
• Isopor, etc…

03- Ajuda com doação financeira anônima através da conta da Associação Lírius.
Banco do Brasil
AG: 0352-2
C/C 108640-5

04- Ajuda através de patrocínio direto:
• -Veicularemos seu apoio no espetáculo.

05- Ajuda por incentivo fiscal através de repasse financeiro pela Lei Rouanet.
• Neste caso só podem empresas em regime de Lucro Real.

Por fim decidimos manter as apresentações nas mesmas datas já previstas, dias 12 e 14 de abril às 20h, ainda não sabemos como será, mas temos a certeza que vamos fazer. Entendemos que a cidade de Maringá e toda a nossa região metropolitana não podem ficar sem este espetáculo, também a fé do nosso povo, todas as manifestações de carinho e apoio nos encheram de ânimo e vigor para continuar.

Obrigado!

Anselmo José
Presidente da Associação Lírus
Diretor Artístico da Paixão de Cristo
Marlos Almeida
Diretor Executivo da Paixão de Cristo
44 9 9973-4841

Email: associacaolirius@gmail.com

NADA PODERÁ NOS ABALAR, NADA PODERÁ NOS DERROTAR, POIS NOSSA FORÇA E VITÓRIA TEM UM NOME E É JESUS

#PAIXÃODECRISTOMARINGA2017#

 

WhatsApp Image 2017-03-28 at 15.25.58

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Notícias

Cândido de outubro revisita a vida e obra de Monteiro Lobato

A edição de outubro do jornal Cândido, editado mensalmente pela Biblioteca Pública do Paraná, revisita a obra e as polêmicas que envolveram a vida do escritor Monteiro Lobato, considerado o fundador da literatura

Notícias

Mestre das sete cordas: cinco videos de Yamandu Costa

O violonista gaúcho, que se apresenta em Maringá no próximo sábado (dia 20), tem no currículo apresentações em parceria com nomes consagrados da música brasileira Com 36 anos, Yamandu Costa ostenta

Artigo

Criatividade, Cultura e Turismo: o tripé estratégico da economia regional

Miguel Fernando, diretor executivo do Instituto Cultural Ingá “Em tempos de crise é que surgem as grandes oportunidades”. Pode parecer clichê, mas a velha máxima vem valendo mais do que nunca