Espetáculo Ritmos e Manifestações afro-brasileiras com Dinho Nascimento

Espetáculo Ritmos e Manifestações afro-brasileiras com Dinho Nascimento

O Centro Cultural Sucena é uma instituição cultural, social e desportiva, que atua em Maringá, desde 1989, sendo um dos grupos mais tracionais em divulgar  a cultura afro-brasileira, atualmente o grupo desenvolve projetos e aulas de capoeira e tem um trabalho no regate e divulgação de diversas danças afro-brasileiras através do grupo folclórico que vem divulgando-a cultura de Maringá em diversas cidades do Paraná e região. O evento nada mais é que resultados de anos de trabalho em prol da  valorização da cultura brasileira.

“Ritmos e manifestações afro-brasileiras ”

É um espetáculo do Centro Cultural Sucena,  que compõe a interpretação de danças e ritmos afro-brasileiros , valorizando as manifestações da cultura popular afro-brasileira e o patrimônio cultural imaterial  brasileiro. Com a apresentação de: coco de roda,  maculelê, samba de roda, dança afro,  puxada de rede e capoeira. O repertório foi todo reformulado , com coreografias, fugurinos e músicas novas,  sendo que   o espetáculo foi que mais atraiu o  público em toda trajetória do grupo.

DINHO NASCIMENTO

Dinho Nascimento tem expressividade reconhecida no meio artístico como quem acrescenta novas concepções e valores à música brasileira, quer quando coloca o berimbau como condutor da peça musical, quer quando traz novas sonoridades, arranjos e diversidades rítmicas, resignificando e traduzindo para a linguagem contemporânea, fundamentos e símbolos das raízes culturais brasileiras. Baiano radicado em São Paulo, capoeirista na essência, percussionista, compositor e cantor, Mestre Dinho gosta de misturar ritmos como coco, samba-de-roda, salsa, chula, maracatu, ijexá, congo-de-ouro, barravento, blues, funk e hip-hop, com estilo absolutamente próprio. Além dos berimbaus e congas, utiliza xequerê, kalimba, n’tama (talk drums), djembê, alfaia e pandeiro para acompanhar sua voz. Em sua composição “Berimbau Blues”, um copo desliza na corda do berimbau para a concepção da melodia.

Sobre o artista:

Dinho Nascimento despertou para a percussão e para as artes em geral, nas manifestações de rua de Salvador, sua cidade natal. Mais tarde estudou piano no Seminário Livre de Música da Universidade Federal da Bahia (de 1968 a 1971). Em 1973 foi para o Rio de Janeiro com o Grupo Arembepe e com este, além de gravar dois compactos simples, em 1977 abriu o show dos Novos Baianos no Teatro Municipal de São Paulo.

Gravou três discos solo (Berimbau Blues – 1997, Gongolo – 2000 e Ser Hum Mano – 2005), além de Sinfonia de Arame, com a Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene (2010). Possui a experiência de quem tocou com Berimbrown, Pena Branca e Xavantinho, Zé Ketti, Clementina de Jesus, Alcione, Inezita Barroso, Batatinha, Renato Borghetti, João Bá, Walter Franco, O Terço, Bocato, Marcos Suzano, Osvaldinho da Cuíca, Tom Zé, Nasi, Quinteto Branco & Preto, João Bá, Vidal França e muitos outros. No cenário da música internacional, tocou com os instrumentistas Bill Close e Kewin Welch (EUA), Tim Winsey (Burkina Faso), Cheny Wa Guneh (Moçambique) e, com a Frente 3 de Fevereiro, participou do Encontro de Agentes Culturais de Comunidades com Doudou Ndiaye Rose ( em Belo Horizonte, 2007).

unnamed (1)

Participou de diversos Eventos Internacionais:

7 , º e ºAnnual Samba Fest Hartford, Connecticut, USA – 2012 e 2013;

I Encontro das Culturas Negras, Salvador, Bahia – 2012;

FAN – Festival de Arte Negra , Belo Horizonte (MG) – 2007 e 2012;

Festival Del Caribe, Santiago, Cuba – 2007;

PERCPAN – Festival de Percussão Panamericano, São Paulo (SP) – 2007;

Festival “Brasil Tô Dentro, music+art+football”, Londres, Reino Unido – 2006;

Copa da Cultura, Hamburg e Stutgard, Alemanha – 2006;

Festival Internacional de Blues Latino, São Paulo (SP) – 2005;

Festival de Inverno de Bonito, Mato Grosso do Sul – 2004;

Fórum Cultural Mundial, São Paulo (SP) – 2004: e,

Mostra Internacional de Percussão “Ritmos da Terra”, Campinas (SP) – 2002.

Sua obra e performance foi objeto da pesquisa publicada pelo Professor Eric Galm no livro “O Berimbau: Alma da Música Brasileira” (University of Mississippi Press, 2010) e no artigo “Tension and Tradition: Explorations of the Brazilian Berimbau by Naná Vasconcelos, Dinho Nascimento and Ramiro Musotto” (Luso Brazilian Review 48(1):79-99, 2012). Seu berimbum é citado na enciclopédia “Popular Music of the World” publicada

 

Repertório:

Duração:  1h e 30 minutos

Classificação indicativa: Livre – Programa para todos os públicos.

 

Dia 12/11/16

9hs ás 11h30 – Oficinas de Capoeira com Mestre Moreno/SP e Mestra Gege – FICA / BA

14hs – Oficina de Percussão com Dinho Nascimento

15h – Oficina de Dança Afro com professora Shirlei /GO

17:30 – Palestra e Vivência da Capoeira Regional com Mestre Deputado /GO

 

As inscrições são gratuitas e integram a programação do 8º festival Afro-brasileiro de Maringá, realizado pela prefeitura Municipal de Maringá através da Assessoria de promoção da Igualdade racial em parceria com diversas instituições.

 

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Notícias

Maringá Jazz Festival anuncia programação para 2015

Solenidade na sede da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM), na tarde de segunda-feira (31), reuniu organizadores e convidados. Evento patrocinado pela VIAPAR será de 6 a 11 de

Notícias

Fundos patrimoniais podem ser opção para financiar cultura

Criados por instituições sem fins lucrativos como forma de garantir sua sustentabilidade financeira em longo prazo, os fundos patrimoniais, ou endowments, já são realidade em países como Estados Unidos, Inglaterra,

Notícias

“Messias” de Händel: pela primeira vez uma orquestra completa para o interior

Formação com equipe, solista, coral e orquestra conta com cerca de 50 integrantes que estarão sob a regência da maestrina Andréia Anhezini Embora o célebre “Aleluia” seja reconhecível por qualquer