Espetáculo Ritmos e Manifestações afro-brasileiras com Dinho Nascimento

Espetáculo Ritmos e Manifestações afro-brasileiras com Dinho Nascimento

O Centro Cultural Sucena é uma instituição cultural, social e desportiva, que atua em Maringá, desde 1989, sendo um dos grupos mais tracionais em divulgar  a cultura afro-brasileira, atualmente o grupo desenvolve projetos e aulas de capoeira e tem um trabalho no regate e divulgação de diversas danças afro-brasileiras através do grupo folclórico que vem divulgando-a cultura de Maringá em diversas cidades do Paraná e região. O evento nada mais é que resultados de anos de trabalho em prol da  valorização da cultura brasileira.

“Ritmos e manifestações afro-brasileiras ”

É um espetáculo do Centro Cultural Sucena,  que compõe a interpretação de danças e ritmos afro-brasileiros , valorizando as manifestações da cultura popular afro-brasileira e o patrimônio cultural imaterial  brasileiro. Com a apresentação de: coco de roda,  maculelê, samba de roda, dança afro,  puxada de rede e capoeira. O repertório foi todo reformulado , com coreografias, fugurinos e músicas novas,  sendo que   o espetáculo foi que mais atraiu o  público em toda trajetória do grupo.

DINHO NASCIMENTO

Dinho Nascimento tem expressividade reconhecida no meio artístico como quem acrescenta novas concepções e valores à música brasileira, quer quando coloca o berimbau como condutor da peça musical, quer quando traz novas sonoridades, arranjos e diversidades rítmicas, resignificando e traduzindo para a linguagem contemporânea, fundamentos e símbolos das raízes culturais brasileiras. Baiano radicado em São Paulo, capoeirista na essência, percussionista, compositor e cantor, Mestre Dinho gosta de misturar ritmos como coco, samba-de-roda, salsa, chula, maracatu, ijexá, congo-de-ouro, barravento, blues, funk e hip-hop, com estilo absolutamente próprio. Além dos berimbaus e congas, utiliza xequerê, kalimba, n’tama (talk drums), djembê, alfaia e pandeiro para acompanhar sua voz. Em sua composição “Berimbau Blues”, um copo desliza na corda do berimbau para a concepção da melodia.

Sobre o artista:

Dinho Nascimento despertou para a percussão e para as artes em geral, nas manifestações de rua de Salvador, sua cidade natal. Mais tarde estudou piano no Seminário Livre de Música da Universidade Federal da Bahia (de 1968 a 1971). Em 1973 foi para o Rio de Janeiro com o Grupo Arembepe e com este, além de gravar dois compactos simples, em 1977 abriu o show dos Novos Baianos no Teatro Municipal de São Paulo.

Gravou três discos solo (Berimbau Blues – 1997, Gongolo – 2000 e Ser Hum Mano – 2005), além de Sinfonia de Arame, com a Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene (2010). Possui a experiência de quem tocou com Berimbrown, Pena Branca e Xavantinho, Zé Ketti, Clementina de Jesus, Alcione, Inezita Barroso, Batatinha, Renato Borghetti, João Bá, Walter Franco, O Terço, Bocato, Marcos Suzano, Osvaldinho da Cuíca, Tom Zé, Nasi, Quinteto Branco & Preto, João Bá, Vidal França e muitos outros. No cenário da música internacional, tocou com os instrumentistas Bill Close e Kewin Welch (EUA), Tim Winsey (Burkina Faso), Cheny Wa Guneh (Moçambique) e, com a Frente 3 de Fevereiro, participou do Encontro de Agentes Culturais de Comunidades com Doudou Ndiaye Rose ( em Belo Horizonte, 2007).

unnamed (1)

Participou de diversos Eventos Internacionais:

7 , º e ºAnnual Samba Fest Hartford, Connecticut, USA – 2012 e 2013;

I Encontro das Culturas Negras, Salvador, Bahia – 2012;

FAN – Festival de Arte Negra , Belo Horizonte (MG) – 2007 e 2012;

Festival Del Caribe, Santiago, Cuba – 2007;

PERCPAN – Festival de Percussão Panamericano, São Paulo (SP) – 2007;

Festival “Brasil Tô Dentro, music+art+football”, Londres, Reino Unido – 2006;

Copa da Cultura, Hamburg e Stutgard, Alemanha – 2006;

Festival Internacional de Blues Latino, São Paulo (SP) – 2005;

Festival de Inverno de Bonito, Mato Grosso do Sul – 2004;

Fórum Cultural Mundial, São Paulo (SP) – 2004: e,

Mostra Internacional de Percussão “Ritmos da Terra”, Campinas (SP) – 2002.

Sua obra e performance foi objeto da pesquisa publicada pelo Professor Eric Galm no livro “O Berimbau: Alma da Música Brasileira” (University of Mississippi Press, 2010) e no artigo “Tension and Tradition: Explorations of the Brazilian Berimbau by Naná Vasconcelos, Dinho Nascimento and Ramiro Musotto” (Luso Brazilian Review 48(1):79-99, 2012). Seu berimbum é citado na enciclopédia “Popular Music of the World” publicada

 

Repertório:

Duração:  1h e 30 minutos

Classificação indicativa: Livre – Programa para todos os públicos.

 

Dia 12/11/16

9hs ás 11h30 – Oficinas de Capoeira com Mestre Moreno/SP e Mestra Gege – FICA / BA

14hs – Oficina de Percussão com Dinho Nascimento

15h – Oficina de Dança Afro com professora Shirlei /GO

17:30 – Palestra e Vivência da Capoeira Regional com Mestre Deputado /GO

 

As inscrições são gratuitas e integram a programação do 8º festival Afro-brasileiro de Maringá, realizado pela prefeitura Municipal de Maringá através da Assessoria de promoção da Igualdade racial em parceria com diversas instituições.

 

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Notícias

Secretaria da Cultura lança segunda edição do Prêmio Arte Paraná

Serão selecionados espetáculos de circo, dança, música e teatro para circulação em todo o Estado. Inscrições até 31 de julho de 2017 A Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) lançou

Artigo

Captação: uma questão complexa

“Existem muitos captadores de recursos no Brasil, o problema é que eles não fazem só isso ou não se identificam, não se assumem captadores. A profissão ainda não é regulamentada

Notícias

Grupos musicais, banda típica, danças folclóricas são atrações da OKTOBERFEST Maringá

Neste final de semana a cidade de Maringá recebe durante três dias, a maior festa alemã do Brasil, a OKTOBERFEST Maringá. Um dos grandes destaques é a programação cultural que conta