Proteção, preservação e promoção da cultura negra no Brasil
24 de agosto de 2016 1153 Visualizações

Proteção, preservação e promoção da cultura negra no Brasil

A Fundação Cultural Palmares (FCP), primeira instituição federal dedicada à proteção, à preservação e à promoção da cultura negra no Brasil, completa 28 anos de criação nesta segunda-feira (22). Em comemoração, a FCP, que é vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), promoverá, até sexta-feira (26), uma série de atividades que incluem lançamento de livros, exposição fotográfica, shows e exibição de filmes, entre outros.

.“Estamos comemorando 28 anos de um dedicado trabalho em busca de valorizar e garantir o reconhecimento da influência da cultura negra na formação social brasileira”, destaca o presidente da FCP, Erivaldo Oliveira. “Sem a presença da negra e do negro, o Brasil teria outra cara e outro espírito, já que as culturas de matriz africana se expressam fortemente por meio da culinária, da língua, da religiosidade, das vestimentas, das danças e dos cantos”, aponta.

.Mesmo assim, observa Oliveira, ainda hoje, inúmeras expressões da cultura afro-brasileira continuam invisibilizadas e sub-representadas, seja nos espaços públicos, seja nos meios de comunicação ou no mercado cultural. “Além disso, muito pouco ainda se sabe sobre a história e a cultura negra no e do Brasil, o que contribui para a reprodução de preconceitos e discriminações, de um lado, e a falta de autoestima da população negra, do outro”, afirma. “Já obtivemos conquistas nos últimos anos, mas ainda há um longo caminho pela frente”, ressalta.

Mapeamento

Segundo Oliveira, uma das prioridades da FCP na atual gestão é chegar à ponta, aos municípios. “Para isso, uma de nossas estratégias é a reestruturação das representações regionais da Palmares, que hoje existem em seis estados”, informa. Outra ação importante em curto prazo é o mapeamento das casas de matriz africana de candomblé e umbanda. “O piloto será executado aqui no Distrito Federal, mas a ideia é replicar em outras unidades federativas do país”, destaca.
.
Outra prioridade, destaca o presidente da FCP, é criar e estreitar relações com outros órgãos estratégicos, como as universidades. “A ideia é desenvolver parcerias para a realização de pesquisas que são fundamentais para a elaboração e execução de políticas públicas mais eficazes. A cultura afro-brasileira é imensamente diversificada e as universidades e institutos federais podem nos ajudar a conhecê-la melhor”, avalia.
Banner-site-1024x857

.

Programação cultural

.Durante a solenidade de abertura das atividades em comemoração ao aniversário da FCP, às 19h desta segunda-feira (22), será realizado o lançamento das obras literárias vencedoras do Prêmio Silveira Oliveira. Em 2015, o prêmio selecionou cinco romances em português, inéditos, com a cultura afro-brasileira como tema: Água de Barrela, de Eliane Alves dos Santos Cruz (Rio de Janeiro/RJ), Haussá 1815, de Júlio César Farias de Andrade (Rio Largo/AL), Sobre as vitórias que a história não conta, de André Luís Soares (Guarapari/ES), Sina Traçada, de Maria Custódia Wolney de Oliveira (Brasília/DF), e Sessenta e seis elos, de Luiz Eduardo de Carvalho (São Paulo/SP). Autores e autoras estarão presentes ao evento para uma noite de autógrafos.
.
A música é outro destaque da programação de aniversário. Nesta segunda (22), três apresentações serão realizadas na Praça dos Artistas, no Setor Comercial Sul, em Brasília, com entrada franca – às 15h, apresentação de Maculelê e Capoeira do Quilombo Ana Laura (Piracanjuba/GO); às 16h, a banda de hip hop Mantendo a Identidade; e às 17h, o samba de George Lacerda.
.
O cinema com temática afro-brasileira também estará presente às comemorações. Até sexta (26), serão exibidos: Besouro(segunda), Kiriku e a feiticeira (terça), 12 anos de escravidão (quarta) e Vista minha pele (sexta). As sessões serão sempre das 15h às 17h, no Auditório da Fundação Cultural Palmares.
.
Outra atração da programação de aniversário é a exposição fotográfica Raízes, que tem como tema o cabelo e seu papel na construção da identidade da mulher negra. As fotos, feitas com 12 mulheres, são resultado de um trabalho de conclusão de curso universitário (Universidade de Brasília) da fotógrafa Sophia Costa. Visitas à exposição, também instalada na sede da FCP, podem ser feitas até sexta-feira (22), das 9h às 17h.
.
Serviço
Aniversário da Palmares
Acesse a programação completa aqui
Local: Setor Comercial Sul (SCS), Quadra 02, Bloco C, nº 256 – Edifício Toufic, Fundação Cultural Palmares

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Nacional

Pelos teatros independentes

Mônica Herculano para o Cultura e Mercado. Um mapeamento realizado recentemente em São Paulo identificou que há diferenças estruturais relevantes entre os teatros independentes e os demais (públicos, patrocinados e SESC).

Local

′Maringá EnCantada′ entra no ritmo da abertura do Natal

Dia 1º de dezembro, a partir das 19 horas, Maringá passa a viver mais intensamente os encantos do Natal, com a chegada do Papai Noel e inauguração da iluminação. A

Notícias

Palestra com degustação vai apresentar a expansão da Economia Criativa no Vale dos Vinhedos

A convite do Instituto Cultural Ingá, o vinicultor Rogério Valduga vem a Maringá apresentar o case desta região da Serra Gaúcha Com grande influência da imigração italiana, a região do