Que tal despertar seu lado criativo?
10 de março de 2016 2374 Visualizações

Que tal despertar seu lado criativo?

Workshop que será realizado nos dias 19 e 20 de março vai ensinar a encontrar e potencializar a criatividade individual. Faça sua inscrição aqui.

Foi usando a criatividade que homens e mulheres da história inventaram soluções para problemas reais, transformando o mundo e a forma com que nos relacionamos com ele. Em maior ou menor escala, todos nós somos criativos para resolver problemas pequenos do cotidiano, a diferença é o quanto exercitamos essa qualidade tão nossa. E essa é a proposta do Workshop “Criatividade e Mão na Massa”, que será realizado nos dias 19 e 20 de março no auditório Angelo Planas, na ACIM.

Segundo a diretora criativa do Farol das Ideias, Arieta Arruda, criatividade não é só para artistas. “É para qualquer pessoa que queira viver em um lugar melhor. Biologicamente é desenvolvermos o lado direito do cérebro, responsável por nossas emoções, conciliando com o lado esquerdo da racionalidade”, completa. O workshop será organizado pela Farol das ideias, uma empresa de serviços voltados à Gestão da Criatividade e Inovação, em parceria com o Instituto Cultural Ingá.

Faça sua inscrição aqui.

A abertura do workshop será às 8h15 com uma conversa sobre “Mitos Criativos”. No período da tarde três assuntos serão abordados: “O que é criatividade?”, “Pitch Elevator”e “Bloqueios Criativos”. A ideia é que os participantes percebam logo no primeiro dia que a criatividade é uma habilidade comum a todos, basta eliminar algumas barreiras. Para o diretor executivo do Instituto Cultural Ingá, Miguel Fernando, investir em criatividade é uma aposta sempre certa. “A tendência é identificar os problemas contidiamos como barreiras. Em verdade, o que devemos propor é um novo a estes desafios. Os problemas podem, e devem, ser a base central para a discussão de soluções. Em outras palavras, pensamos no problema e propomos um projeto cultural, criativo, que pode ser a sua solução”, finaliza.

A programação do segundo dia é mais prática, apresentando conceitos como o Design Thinking, Zeitgeist e a co-criação de projetos. Ao final do workshop os participantes deverão apresentar um projeto.

Sair da zona de conforto
“O nosso objetivo é levar transformação. Sair da zona de conforto, do piloto automático. Recalcular a rota da carreira”, explica Arieta Arruda. Segundo ela, a ideia de um workshop é incentivar a prática para exercitar o processo criativo. “Queremos que as pessoas coloquem a mão na massa, pratiquem, percebam como as ferramentas que vamos apresentar podem facilitar a vida delas.

“Precisamos treinar e deixar o nosso cérebro revelar seu potencial criativo que está adormecido. Isso é fundamental para a era pós-digital em que a economia está sofrendo transformações, em que as nossas relações com o trabalho estão mudando e nossas relações interpessoais também sofrem exponenciais transformações. Essas mudanças não são ruins, pelo contrário, nos dão a gigantesca oportunidade de desenvolvermos nosso potencial humano mais bonito (e único em relação a outras espécies) que é a capacidade de imaginação, criação e prática para a resolução de problemas, envolvendo qualquer área.”
Arieta Arruda, diretora criativda do Farol das Ideias

 

Serviço:
Workshop Criatividade e Mão na Massa
19 e 20 de março – das 8h as 17h
Auditório Ângelo Planas (ACIM) / Rua Basílio Sautchuk, 388 – Centro / Maringá-PR
Informações: (44) 3025-9625 / diretoria@institutoculturalinga.com.br
Valor R$ 85
Link para inscrição: https://docs.google.com/forms/d/1UnkhDnc-ZG9W50fpQVmoFPuJfCvyfla57XfDGqQFFy0/viewform

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Notícias

Para que servem as editoras musicais?

Editora musical é a empresa que administra repertórios musicais (composições) e licencia usuários em relação às diversas modalidades de sua utilização, como as gravações, comercialização de CDs, arquivos digitais, sincronizações

Notícias
Notícias

Maringá ocupa 2º lugar, no Paraná, em captação de recursos da Lei Rouanet

Instituto Cultural Ingá é responsável por 60% da captação total da cidade. Em 2017, R$ 3.025.521,92 foram aplicados em cultura e arte Os resultados que evidenciam o bom desempenho do