Experiência mantém atratividade do cinema

Experiência mantém atratividade do cinema

A combinação grandes lançamentos, pipoca e refrigerante segue imbatível como fator que motiva os brasileiros a optarem pela telona

A pipoca nem sempre foi um atrativo para complementar a experiência dos espectadores ao cinema. Nos Estados Unidos, durante o século 19, os pipoqueiros de rua chegavam a ser expulsos pelos proprietários das salas exibidoras. Porém, de olho na popularidade das guloseimas, em 1920, os empresários perceberam que era melhor tê-los por perto convidando-os a ocupar a área interna. Nascia daí a combinação pipoca, refrigerante e cinema, uma mistura que tem sido fundamental, juntamente com o ritmo de produções recentes, para que a indústria lide com o avanço da concorrência de plataformas de streaming como Netflix.

A busca por um entretenimento diferenciado no cinema é apontada pelos espectadores como o principal motivo para que eles saiam de casa e desembolsem quantias significativas em um ingresso. Levantamento exclusivo realizado pela plataforma de pesquisas MeSeems para o Meio & Mensagem, com 800 pessoas entre 18 e 41 anos, mostra que a experiência é o principal motivador para que as pessoas frequentem ao cinema, opção de 64% dos entrevistados. Em segundo lugar, como fator decisivo, está a qualidade da imagem, escolhida por 31% dos respondentes e a possibilidade de ver um filme antes que todo mundo, resposta de 23% dos participantes.

Para os entrevistados, os diferenciais de um cinema são principalmente o conforto e a tecnologia disponíveis. O conforto fala mais alto para 47% dos entrevistados, enquanto 44% responderam que tecnologia é fundamental, seguido por preço 36% e serviços ao redor 28%.

Entre mulheres o preço se destaca como um diferencial de um cinema 40% versus 31% entre homens, enquanto para homens a tecnologia é um ponto mais importante 48% versus 40% entre mulheres. A principal forma de compra dos bilhetes de cinema ainda é por meio da bilheteria no shopping. Apenas 12% compram seus ingressos com antecedência, pela internet.

O terreno fértil da experiência encontrou parceria na safra de lançamentos em 2015. Quem trouxe mais ação ao mercado foi o grupo dos super-heróis com lançamentos como “Os Vingadores 2- Era de Ultron”, “Homem Formiga” e “Quarteto Fantástico”. Não faltaram opções de reboots como “O Exterminador do Futuro” e a continuação de “Velozes e Furiosos”, além de “O Mundo dos Dinossauros”. Por fim, para a animação o ano também foi especial com o sucesso ‘DivertidaMente”, da Pixar e “Minions O Filme”.

O ano foi fechado com chave de ouro com “Star Wars: O despertar da Força” que arrecadou R$ 9,5 milhões apenas em seu primeiro dia de estreia no Brasil e um pré-lançamento de 600 mil entradas. A adaptação “Os Dez Mandamentos”, da Record superou, em quatro semans a marca de 6 milhões de espectadores.

Confira a matéria completa com gráficos clicando aqui.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Nacional

Logística, a faculdade de raciocinar

Artigo de Marcela Amaral, para o Cultura e Mercado LOGÍSTICA, do grego, originalmente indica a faculdade de raciocinar. Logística é uma das palavras mais usadas no universo da produção cultural

Nacional

Memórias capitais, um passeio pelo relevo cultural de cada estado

Projeto que tem o apoio do Itaú Cultural apresenta lembranças das capitais brasileiras a partir do olhar de artistas que lá nasceram A diversidade cultural brasileira é, sem sombra de

Artigo

Um balanço de 2015 e as perspectivas 2016 no cinema

Diferente do esperado pelo mercado, que tem investido cada vez mais em filmes com potencial de bilheteria, 2015 repetiu o resultado medíocre de 2014 e manteve a estagnação do cinema