Cultura recebe doação de 360 exemplares do livro “Terra Crua”

Cultura recebe doação de 360 exemplares do livro “Terra Crua”

O livro é um projeto do Instituto Cultural Ingá contemplado com o Prêmio Funarte Caixa Carequinha de Estímulo ao Circo e conta a história das artes circenses no paraná durante as décadas de 1950 1960

O Museu da Família realizou na quarta-feira (9) a doação de 360 exemplares do livro “Terra Crua” para a Secretaria de Cultura. Em sua segunda edição, a obra é o primeiro livro sobre a história de Maringá, escrito em 1957 por José Ferreira Duque Estrada.

A secretária de Cultura, Olga Agulhon, agradeceu o Museu da Família e destacou que a obra tem um valor inestimável. “Os livros serão repassados para as bibliotecas municipais e dois deles doados para o Patrimônio Histórico”, lembrou.

O diretor do Museu da Família, Edson Luiz Pereira, ressaltou a importância da obra que poderá ser lida por mais maringaenses. “É um grande trabalho de pesquisa que apresenta a história de nossa cidade nas décadas de 50 e 60”, afirmou.

A segunda edição de “Terra Crua” da Editora da UEM foi realizada por Reginaldo Dias, Sérgio Gini e Miguel Fernando Peres Silva. A revisão ortográfica é do fundador da Academia de Letras de Maringá, A. A. de Assis. O projeto foi realizado pelo Museu da Família e viabilizado pela Viapar e Ministério da Cultura.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Notícias

Cultura e informação em tempos de crise

Se você é um gestor cultural, já sabe: a crise bateu à porta. Ou até, quem sabe, já entrou e ficou à vontade. Trouxe a mala, e você já viu

Notícias

PROFICE – Investir na cultura é investir no futuro

O PROFICE é o Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná que, por meio da renúncia fiscal de ICMS, possibilita a valorização, a produção, a difusão, a

Nacional

A economia artisticamente criativa

Entrevista feita por Mônica Herculano para o site Cultura e Mercado Lançado em dezembro pelo Observatório Itaú Cultural e a Iluminuras, o livro “A Economia Artisticamente Criativa“, do professor da