Plataforma unirá todos os Pontos de Cultura

Plataforma unirá todos os Pontos de Cultura

O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural lançará, nesta segunda-feira, dia 05, a Plataforma da Rede Cultura Viva. A ferramenta irá permitir que entidades e coletivos culturais se autodeclarem Pontos de Cultura, sendo reconhecidos como tal pelo governo brasileiro. Para marcar o lançamento, será realizado um dia inteiro de atividades, abertas aos interessados.
A plataforma é uma reivindicação histórica do movimento cultural e possibilitará o mapeamento, estímulo e valorização das ações culturais desenvolvidas pela sociedade civil, envolvendo entidades, grupos, coletivos, redes, artistas, produtores e demais expressões da diversidade cultural.
Inspirado em experiências da sociedade civil, como mapeamentos colaborativos e plataformas de crowdfunding, a rede estará alocada em uma plataforma de integração e articulação, um ambiente de rede, de trocas de experiências, serviços, conhecimentos e informações com o objetivo de estimular o intercâmbio, a articulação em rede, a economia solidária e colaborativa. A partir da plataforma, Pontos de Cultura poderão trocar informações, produtos e serviços entre si, ter acesso às políticas de fomento do Ministério da Cultura e de outros órgãos governamentais, manter um site próprio atualizado, acompanhar a execução de seu plano de trabalho e enviar informações sobre atividades desenvolvidas.
A plataforma que possibilitará a autodeclaração será lançada no Memorial Darcy Ribeiro, na Universidade de Brasília (UnB), em Brasília, com a presença de representantes do setor cultural de todo o País, do ministro da Cultura Juca Ferreira, da secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do MinC, Ivana Bentes, de parlamentares e outras autoridades.

Pontos de Cultura

Ponto de Cultura pode ser qualquer entidade sem fins lucrativos, grupos ou coletivos, com ou sem constituição jurídica, de natureza ou finalidade cultural, que desenvolvam e articulem atividades culturais em suas comunidades ou em redes. Suas ações atingem os mais diversos segmentos da cultura brasileira e estimulam novos arranjos econômicos.
A Política de Cultura Viva contempla iniciativas ligadas à cultura de base comunitária, indígenas, quilombolas, de matriz africana, economia solidária, produção cultural urbana e periférica, cultura digital, cultura popular, com ampla incidência no segmento da juventude, abrangendo todos os tipos de linguagem artística e cultural como música, artes cênicas, cinema, circo, literatura, entre outras.
O Cadastro Nacional de Pontos e Pontões de Cultura foi instituído pela Lei Cultura Viva, aprovada em julho de 2014,  e  permitirá a ampliação da escala desta política. O Plano Nacional de Cultura tem como meta 15 mil Pontos de Cultura fomentados no Brasil até 2020. A rede hoje conta com cerca de 4500 entidades culturais em todo o país poderá, com a autodeclaração, chegar a 10 mil pontos de cultura reconhecidos  até o fim do ano.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Notícias

SEEC reabre conferência para escolha dos representantes do Conselho Estadual da Cultura

A conferência será composta por oito reuniões para a escolha dos representantes da sociedade civil no CONSEC. Das 18 vagas, 10 são destinadas aos representantes das áreas artístico-culturais e o

Notícias

Por que o Chile decidiu dar uma força para as pequenas quitandas de bairro

Além de dinamizar a economia, gerando emprego e renda para 400 mil famílias, mercadinhos, padarias e hortifruti humanizam a convivência cotidiana e protegem teia de relações que ainda resistem nas

Prêmios e Editais

Inscrições abertas para Prêmio FCW de Arte, de R$ 200 mil

Já estão abertas as inscrições para a 14ª edição do Prêmio FCW de Arte (Fotografia),  realizado pela Fundação Conrado Wessel (FCW) e um dos maiores prêmios do país na área. Com um total