O papel do marketing cinematográfico

Balanço de acompanhamento de mercado da Agência Nacional do Cinema (Ancine) divulgado nesta quinta-feira (20/8) indica que o público das salas brasileiras segue em trajetória de alta, somando 90,4 milhões de espectadores no 1º semestre – um crescimento de 12% na comparação com os seis primeiros meses de 2014.

A arrecadação das bilheterias aumentou 19,3% na comparação com o 1º semestre de 2014, alcançando R$ 1,22 bilhões com um total de 436 títulos exibidos. O paíse ganhou ainda 25 novos complexos cinematográficos este ano, totalizando 123 novas salas.

A Ancine atribui o crescimento da bilheteria em 2015 ao aumento da renda dos grandes lançamentos estrangeiros, que apresentaram crescimento de público de 19,9% em relação ao primeiro semestre de 2014. Dois blockbusters foram responsáveis, sozinhos, por quase 20 milhões de espectadores ou 24% da bilheteria de títulos estrangeiros no país: “Vingadores: A Era de Ultron” e “Velozes e Furiosos 7″. Emquanto isso, os filmes nacionais atraíram 7,4 milhões de pessoas no 1º semestre, o que corresponde a uma queda de 35,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Em termos de arrecadação, a queda foi de 32,3%.

Leia a entrevista completa clicando aqui.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Nacional

Pela primeira vez em Maringá: Eduardo Saron, diretor superintendente do Itaú Cultural

Palestra exclusiva é promovida pelo Instituto Cultural Ingá e inscrições podem ser realizadas gratuitamente no site da entidade Cumprindo o objetivo de incentivar empresários, produtores culturais e artistas de Maringá

Local

11 editais do MinC têm cotas para negros, indígenas e mulheres

#AudiovisualGeraFuturo é o maior em termos de volume de recursos e de projetos O programa Audiovisual Gera Futuro, lançado em fevereiro, em Brasília, disponibiliza R$ 80 milhões para cerca de

Nacional 0 comentários

Storytelling para projetos culturais

Abundância de informação gera escassez de atenção. Herbert Simon, economista e ganhador de um Nobel, apresentou esse conceito em 1971. Mais de 40 anos depois, isso tornou-se ainda mais válido. Com a