Cultura, substantivo… masculino?

Ao longo da segunda metade do século XX, as mulheres obtiveram várias conquistas: entraram em massa no mercado de trabalho, tiveram maior acesso a escolas e universidades e cada vez mais autonomia. Os avanços da porta de casa para fora, porém, não foram acompanhados no mesmo ritmo pelos avanços da porta para dentro. As tarefas ligadas à vida familiar e doméstica ainda ficam quase sempre sob responsabilidade feminina, gerando uma dupla jornada que trava a redução da desigualdade entre os gêneros e, sabe-se agora, barra uma participação maior desse grupo nas atividades culturais.

Em 2014, o Instituto Datafolha mapeou os hábitos culturais dos moradores de 21 municípios paulistas, a pedido da consultoria JLeiva Cultura & Esporte. A pesquisa Cultura em SP revelou uma situação paradoxal: analisou 18 atividades e detectou que em 17 delas as mulheres têm mais interesse do que os homens, mas em apenas três a frequência feminina supera a masculina.

Leia o artigo completo clicando aqui.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Nacional 0 comentários

Criatividade como promotora de desenvolvimento

A criatividade entrou para a pauta do dia. Indústrias criativas, economia criativa, empreendedorismo criativo, classe criativa. “Criatividade virou a bola da vez – o que é péssimo, já que corremos o

Notícias

Por que o Chile decidiu dar uma força para as pequenas quitandas de bairro

Além de dinamizar a economia, gerando emprego e renda para 400 mil famílias, mercadinhos, padarias e hortifruti humanizam a convivência cotidiana e protegem teia de relações que ainda resistem nas

Artigo

MinC pede esclarecimentos e apresenta sugestões ao TCU sobre aplicação da Lei Rouanet

O Ministério da Cultura (MinC) apresentou ao Tribunal de Contas da União (TCU) um Embargo de Declaração ao Acórdão Nº 191/2016 do TCU, de 03 de fevereiro deste ano. O

0 comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comentar!