Cultura, substantivo… masculino?

Ao longo da segunda metade do século XX, as mulheres obtiveram várias conquistas: entraram em massa no mercado de trabalho, tiveram maior acesso a escolas e universidades e cada vez mais autonomia. Os avanços da porta de casa para fora, porém, não foram acompanhados no mesmo ritmo pelos avanços da porta para dentro. As tarefas ligadas à vida familiar e doméstica ainda ficam quase sempre sob responsabilidade feminina, gerando uma dupla jornada que trava a redução da desigualdade entre os gêneros e, sabe-se agora, barra uma participação maior desse grupo nas atividades culturais.

Em 2014, o Instituto Datafolha mapeou os hábitos culturais dos moradores de 21 municípios paulistas, a pedido da consultoria JLeiva Cultura & Esporte. A pesquisa Cultura em SP revelou uma situação paradoxal: analisou 18 atividades e detectou que em 17 delas as mulheres têm mais interesse do que os homens, mas em apenas três a frequência feminina supera a masculina.

Leia o artigo completo clicando aqui.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Você também poderá gostar

Nacional

Audiovisual cresce mais do que outros setores

Cultura e Mercado Divulgado pela Agência Nacional de Cinema (Ancine), o Estudo sobre Valor Adicionado pelo Setor Audiovisual Brasileiro indica que, entre os anos de 2007 e 2013, houve um

Notícias

Evento de indústrias criativas do Brasil, MicBR deve gerar impacto econômico de R$ 40 mi para o País

O Ministério da Cultura (MinC) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) lançaram, nesta segunda-feira (23), no Cinearte, em São Paulo, o Mercado das Indústrias Criativas

Nacional

SEEC prorroga prazos do processo de eleição da CProfice

A Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) prorrogou os prazos para a indicação de candidatos pelas entidades habilitadas, para o envio de documentação por parte dos candidatos e para a

0 comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comentar!